Cirurgia robótica:





Se os computadores revolucionaram a segunda metade do século XX, a robótica promete alterar a maneira como viveremos no século 21. Robôs modificaram o modo de fabricar carros e outros bens de consumo ao otimizar e acelerar a linha de montagem. Possuímos até cortadores de grama e animais de estimação robóticos. E os robôs possibilitaram que conhecêssemos locais que os humanos ainda não são capazes de visitar sozinhos, como outros planetas e as profundezas do oceano.

Nas próximas décadas, veremos robôs com inteligência artificial capazes de se assemelhar à dos homens que os criaram. Virtualmente, eles podem até se tornar conscientes de si mesmos e do mundo, como também de fazer as mesmas coisas que os humanos.Quando falamos sobre o futuro falamos sobre robôs fazendo as tarefas humanas, mas o futuro da cirurgia robótica já chegou. Estamos realmente prontos para que máquinas substituam os médicos na sala de operação?
A primeira geração de robôs cirúrgicos já está sendo instalada em diversas salas de cirurgia ao redor do mundo. Eles não são verdadeiros robôs autônomos, que realizam cirurgias sozinhos, mas fornecem ajuda mecânica aos cirurgiões. Essas máquinas ainda requerem um médico para manuseá-las e fornecer instruções. O controle remoto e a ativação por voz são os métodos pelos quais esses robôs cirúrgicos são controlados.

Tipos de instrumentos usados
pelo Sistema Cirúrgico da Vinci

A robótica está sendo introduzida na medicina porque permite maior controle e precisão dos instrumentos cirúrgicos, com procedimentos minimamente invasivos. Até agora, essas máquinas foram usadas para posicionar um endoscópio, efetuar cirurgias da vesícula biliar e corrigir refluxo gastroesofágico e azia. A meta principal do campo da cirurgia robótica é projetar um robô que possa ser usado para efetuar cirurgias de coração sem abertura da caixa torácica. De acordo com um fabricante, dispositivos robóticos poderiam ser usados em mais de 3,5 milhões de procedimentos médicos por ano somente nos Estados Unidos